View Full Version: Descontrole - One Shot

Twilight Brasil > Fanfiction > Descontrole - One Shot


Title: Descontrole - One Shot


BiazinhaFabbro - August 10, 2008 03:23 AM (GMT)
Título: Descontrole
Categoria: Romance
Censura: Livre
Ship: Emmett-Rosalie
Fandom: Twilight
Tipo: One-Shot


O dia amanhece chuvoso em Forks, o vento levava flocos de neve até o grande vidro na sala de estar da grande mansão Cullen. A casa estava arrumada e brilhante como sempre, algumas flores felizes estavam dentro de um vaso numa pequena mesa de centro em frente à uma gigantesca televisão de plasma. Em frente dela, num sofá comprido, Edward esticava suas longas pernas, e estava de olhos fechados, metidando em alguma boa lembrança, pois sorria.
Na cozinha, Esme lustrava alguns pratos de porcelana e os colocava lentamente um sobre o outro dentro de um bem desenhado armário de vidro. Carlisle e Jasper estavam no jardim, os dois estavam confortavelmente sentados na grama coberta de neve, em meio ao vento, jogando uma animada partida de xadrez.
- EU-NÃO-ACREDITO! - Ouviram-se os berros histéricos de Alice quando ela estacionou o Porsche amarelo na garagem com raiva. - Simplesmente não posso acreditar! - Ela bateu a porta do carro com forçae saiu correndo para dentro da sala, Jasper e Carlisle apenas riram da menina.
- EDWARD! - Ela puxou o irmão pelos colarinhos e o ergueu com uma mão só. - Me diga agora! Onde colocou as minhas bexigas azuis? Onde? Eu deixei no porta malas do volvo ontem à noite, e agora, sumiram! Onde você colocou toda a minha decoração para você sabe o quê? - Ela sacodia Edward como se ele fosse uma folha de papel.
- Me solta! - Ele empurrou ela com força, e ela caiu no chão num baque de arder os ouvidos. - Não mexi em nada das suas coisas Alice, tente falar com a Bella...
- Bella? - Alice riu-se. - Até parece que ela ia pegar minhas coisas... E você botando a culpa na Bella, deixa, deixa só você decidir que não vai me contar onde colocou minha decoração pra você sabe o quê e eu saberei que foi você!
- Mas não fui eu. - Agora ele parecia uma criança manhosa, falando numa voz implorativa e arrastada.
- Edward, não minta pra mim.
- Alice, não tente achar que fui eu. - Ele olhou-a nos olhos rindo. - Não é só você que sabe das coisas nessa casa.
- E você... Para de ler minha mente... Ou eu...
- Ou você....?
- Ou eu... Eu digo pra Bella que você está com a Tânia!
- Bella não iria acreditar. - Edward cruzou os braços. - Legal seu jantar com o Jasper ontem. - Ele balançou os ombros, provocando a irmã.
- Dá pra parar de ver meus pensamentos? Espero que consiga ver a parte que o Jasper te zuou por você ser virgem.
- O Jasper fez isso? - Ele arregalou os olhos assustado.
- E você está com a Tânia...
Alice deu as costas e saiu dançando na ponta do pé em direção à cozinha.
- Que foi que você chegou gritando Alice? - Esme estava sentada numa banqueta perto da pia, olhando a paisagem de neve por uma pequena janela.
- O Edward... Ele desapareceu com toda a minha decoração pra você sabe o quê... - Alice murchou, cruzou os bracinhos finos e fez beicinho de quem estava prestes a chorar.
- Não precisa ficar assim, ele já devolve.
- Sei... Eu tô arrumando você sabe o quê faz uma semana... - Alice olhou Esme com tristesa. - Olha pra mim, eu me esforcei tanto. Não tem graça ele fazer essas brincadeirinhas numa hora dessas.
Alice estava com um ar extremamente cansado, se fosse humana, estaria prestes à desmaiar de tão cansada. Seus olhos estavam extremamente negros e ela parecia um pouco desesperada por um pouco de alimento.
- Você precisa comer filha. - Esme acariciou a pele de veludo da menina.
- Não. Não antes que tudo esteja pronto! Não vou sair de casa até... - Alice olhou no calendário. - HOJE À NOITE? - Agora estava estava fazendo uma pergunta, talvez para si mesma, não se sabia.
- E aí pequena? - Emmett entrou na cozinha com as roupas molhadas e com um sorriso gigante. - Tudo bom? - Ele pegou alice nos braços e jogou-a sobre seus ombros, balançando a irmã pra lá e pra cá pela cozinha. Finalmente, colocou-a no chão.
- Oi Emmett. - Ela disse sorrindo, um sorriso extremamente falso. Emmett percebeu, mas não comentou nada, e fingiu-se de convencido.
- E aí, como foi no Canadá? - Esme olhou para os olhos dourados líquidos do menino, aquilo já respondia tudo.
- 5 Leões da montanha numa noite só, não sei como não explodi de tanto comer! - Ele deu um leve tapinha na barriga. - Edward devia estar lá.
- Preferi ficar aqui com a Bella. - Ele apareceu atrás do irmão, carrancudo.
- 'Preferi ficar aqui com a Bella'. - Emmett o imitou. - Você tem que largar ela um pouco cara, desse jeito você vai sufocar nossa recém nascida.
- Falado sobre mim? - Bella apareceu saltitante atrás de Edward, que abraçou com carinho sua dama dos olhos dourados.
- Estávamos sim, meu amor. Então, como foi o passeio com Rosalie?
- Um sucesso. - Rosalie surgiu na cozinha, que estava surpreendentemente cheia agora. - Bella se comportou bem para uma recém-nascida.
- Acho que já poderiam parar de chamá-la assim, já se fazem 20 anos! Como vocês são antigos. - Edward resmungou dando um beijo na testa de Bella, Rosalie virou os olhos e deu as costas, saindo da cozinha.
- Bem... Acho que vou procurar um urso... Ainda estou com fome! - Emmett bateu na barriga outra vez. - Quer vir Bella? Eu pego um pra você, se quiser é claro.
- Já sei caçar sozinha Emmett, mas aceito. - Ela disse animada, depois parou, ficou séria e olhou para Edward com receio.
- Pode ir. - Ele sorriu mostrando todos os dentes brancos e geométricos. - Emmett é de confiança!
Emmett pegou Bella pela cintura a jogou-a nas costas, assim como fizera com Alice, a menina saiu dando risada da animação do seu cunhado musculoso.
Passaram-se alguns minutos em silêncio, quando Edward sentou-se na banqueta em frente ao piano, e ficou ali, quieto. Alice veio automaticamete até ele, sorrindo feito uma criança que ganha um sorvete.
- Então? Onde você colocou?
- Estão no porta malas do volvo, só que de baixo de algumas caixas com roupas humanas da Bella que ela insiste em guardar lá. Está tudo do jeito que você deixou, só coloquei as caixas por cima pra você não ver. Me desculpe Alice... Mas você mesma sabe que essa é uma péssima idéia!
- Edward! São 200 anos de vida! Por mim eu chamava todos os nossos conhecidos. - Alice parou por um minuto, e parecia estar fazendo a lista de convidados em sua mente. Então virou-se para Edward sorrindo. - Mas só a nossa família está bem... E a última vez que a gente comemorou o aniversário dele foi à 30 anos atrás. Bella adoraria uma festa! A gente podia comprar um porco!
- Alice! Francamente, um porco? Você está brincando não é?
- Claro que estou Edward. - Ela deu os ombros animada. - Então, você me ajuda a encher as bexigas?
- O enchedor de bexigas quebrou no dia do meu casamento com a Bella, você não se lembra?
- Ahh... Claro! Será que a garantia já terminou?
Em alguns momentos, Alice era tão desligada do modo de vida humano. Edward pensou. Mas ele preferiu guardar o pensamento com ele mesmo. - Sim. - Foi o que ele disse. - Já acabou, mas posso ir com você até Seattle comprar um novo, já que Bella saiu com Emmett pra caçar.

---

BiazinhaFabbro - August 10, 2008 03:26 AM (GMT)

Longe da casa dos Cullen, dentro de um shopping center em Seattle, Emmett e Bella estavam sem movimentos de tanta alegria.
- Caramba Bella! - Emmett olhou-a impressionado.
Bella segurava uma foto, a foto mostrava um resort lindo, na verdade era uma ilha, deserta, com apenas uma casa, pequena e romântica.
- Eu acho perfeito! - Bella sorriu, animada.
A idéia de Emmett era comprar uma ilha, assim como seu pai havia feito para sua mãe, ele queria fazer o mesmo para com Rosalie. A Ilha ficava na Austrália, e tinha uma grande variedade de corais para serem explorados com mergulho ao seu redor. Os olhos dele só faltavam saltar das órbitas de tanta felicidade ao olhar aquela foto.
- Então Sr. Cullen. - O agente da pequena loja de imóveis caros sorriu. - O senhor vai dividir em quantas vezes o pagamento da ilha?
- A vista. - Emmett pegou sua carteira, tirou um pequeno cartão prateado e passou-o numa máquina, depois digitou uma senha rápida e sorriu para o vendedor.
- O Sr. irá até o porto de Sidney, na parte 5 o barco que o senhor comprou estará a sua espera, com os dizeres 'Amor da minha vida' na frente, como o senhor me pediu. Então, o senhor mesmo irá até a ilha, conforme já lhe foi explicado o caminho, e lá, a casa estará a espera do senhor e de sua...
- Esposa... Minha esposa. - Ele disse com os olhos brilhando.
Emmett assinou mais alguns papéis e se dirigiu até o corredor dos elevadores com Bella.
- Você acha que ela vai gostar Bella?
- Rosalie? Se ela vai gostar de ganhar uma ilha e um barco escrito 'amor da minha vida'? Sabe... Acho que ela vai odiar a idéia. - Bella riu-se. Os dois entraram num elevador e apertaram o botão que os levaria até o estacionamento.
Segundos depois a porta do elevador ao lado se abriu, e Alice pulava alegre ao lado de Edward, ela logo olhou para a pequena agência de imóveis.
- A gente podia dar uma casa pro Emmett! - Ela riu.
- Menos Alice. - Edward puxou-a na direção de uma loja de artigos para aniversários. Lá eles compraram um novo enchedor de bexigas de última geração, e Alice aproveitou para comprar uma nova máquina fotográfica, com a qual tiraria as fotos da festa mais tarde.
- E o que vamos fazer com Rosalie? - Ela perguntou enquanto o irmão dirigia o volvo em direção à casa da família Cullen.
- Esme pode tirá-la de casa. Carlisle e Jasper vão ficar comigo e com você para ajudar na arrumação.
- Eu não preciso de ajuda.
Edward a ignorou. - E Bella e Emmett vão ficar o dia todo fora, como você mesma já viu.
- É, achei estranho por que vi Bella e Emmett numa sorveteria. Emmett odia comida de humanos.
- Bella ainda se acha humana, não duvido nada que ela queira comer sorvete, mesmo sendo a pior coisa desse mundo. Ela podia pelo menos comer uma picanha crua. - Edward riu.
Alice ligou o som, uma música eletrônica no último volume invadiu o volvo prateado, Edward acompanhava a batida da música com os dedos dançando sobre o volante, e Alice dançava alegremente sentada no banco do carona.
Dito e feito. Quando chegarem em casa, Emmett e Bella não estavam lá, haviam um bilhete de Esme com os dizeres 'Eu e Rose fomos fazer comprar, voltamos mais à noite. Beijinhos' e Jasper e Carlisle já haviam terminado a partida de xadrez na neve, e agora assistiam à um jogo de futebol.
- Você já teve gostos melhores para televisão pai. - Edward entrou, carregando as sacolas que havia tirado do porta malas do volvo, alguns laços e fitas de cetim caíam pelas bordas abertas das sacolas.
- Deixa de ser ranzinza Edward. - Jasper soltou uma gargalhada alta pelo comentário do pai.
- Jasper! Vem me ajudar aqui meu amor! - Alice gritou do jardim.
- Estou indo princesa!
Jasper voou até o jardim, e logo estava na sala outra vez, segurando uma caixa de um enchedor de bexigas e vários vestidos femininos.
- Vestidos? - Carlisle desligou a Tv e começou a olhar as coisas que Jasper havia trazido.
- Sim! - Alice sorriu, encostou a porta e correu para perto do pai e dos irmãos. - Um para mim... - Ela ergueu um vestido preto, justo e curto, feito de couro brilhante. - Um para Rose. - Ela ergueu um longo vestido vermelho, com um corte que ia do começo da coxa direita até o pé e um grande decote. - Um para Esme... - Este vestido era azul bebê, delicado, e com algumas flores pequenas, bordadas numa linha azul clara e delicada. - E um para Bella. - O de Bella era preto, do tamanho do vestido de Alice, só que o decote de Bella era no estilo espartilho, e na parte de trás, várias fitas roxas se cruzavam para fechar a roupa. - Achei que todas nós estariamos bem vestidas hoje!
Logo todos se apressaram em suas tarefas ordenadas por Alice, Edward foi instalar luzes coloridas por toda a sala, e uma pista de dança com um globo brilhate no meio, aquilo lembrava a festa de formatura de Bella. Jasper montou uma mesa de som e foi para o computador de Emmett procurar as músicas que ele mais ouvia para salvar num CD. Carlisle e Alice decoravam a casa com fitas, laços, bexigas e adesivos que brilhavam no escuro.

---

BiazinhaFabbro - August 10, 2008 03:28 AM (GMT)

- Eu não vou vestir isso e ponto final! - Rosalie disse emburrada e saiu batendo o pé da loja de roupas.
- Rose! - Esme correu até ela, que agora estava sentada em uma cadeira na praça de alimentação do centro de roupas de Nova York. - Oh! Rose... - Esme viu os olhos da menina ficando cada vez mais e mais tristes e opacos, até que eles piscaram com extrema lentidão e Rosalie soltou um gemido baixinho.
- Esme, eu já sei de tudo. Sabe, já se fazem 5 anos que o Emmett não fala comigo, ele nem de diz 'oi', ele fala abertamente com todos vocês, bem na minha frente sobre as garotas que ele conhece, ele chegou a ficar com algumas, mostrar as fotos para a Bella bem na minha frente. Bella. - Ela bufou. - Agora eles são melhores amigos. E o Edward não faz nada.
- Acho que você está se precipitando Rose, eu conheço quem eu criei, por assim dizer. Emmett te ama, está nos olhos dele.
- Hoje é aniversário dele, eu sei que ele vai dar uma festa.
- Querida, ele não dá uma festa fazem 30 anos.
- Ele está completando 200 anos, se ele não der, Alice dará. E ela não me chamou, nem mesmo pediu minha ajuda. Como se eu não fosse alguém importante para ele. Como se eu fosse qualquer uma, como disse pra você hoje cedo.
- Rose, você está sendo dramática demais. Caso Emmett realmente não te queira mais, sabe... Existem outros bons rapazes por aí.
- Um Volturi talvez, ele podia me matar logo, pelo menos eu não ficaria sofrendo de amores.
- Ah! Querida! Não diga uma besteira dessas! Um Volturi... Como se já não bastasse o problema que eles nos causaram por causa da Bella há alguns anos atrás.
- Bella... Aquilo foi a coisa mais linda que eu já vi. Bella atravessou o mundo para salvar Edward, e eu sei que se eu estivesse prestes a morrer agora, Emmett apenas iria me fazer um aceno de adeus.
Alguns minutos de silêncio e Esme percebeu que já era tarde, com festa ou não, já era hora de ir para casa.
- Não precisa me levar. Meu carro está aí também. Eu vou mais tarde.
- Rose....
Rosalie apenas olhou quieta para Esme, que deu as costas e deixou a menina sentada na praça de alimentação.
Depois que quase uma hora sentada olhado para o nada, Rosalie levantou-se com sua típica sedução e digiriu-se até o estacionamento, onde dentro de seu carro vermelho, permaneceu mais uma hora quieta, apenas vendo o rosto sorridente de Emmett em seus pensamentos, e se segurando para não gritar a angústia de querer abraçá-lo novamente. Ela lembrou-se então, do que havia acontecido 5 anos atrás.
Era outono. Todos os Cullens estavam reunídos na clareira, sorrindo e brincando por todos os lados. Emmett e Bella brincavam de lutar, Edward e Carlisle estudavam algumas plantas enquanto Jasper e Alice estavam deitados na grama aos beijos. Esme tirava fotos de todos, um flash aqui, outro ali. Faziam-se 15 anos que Bella havia sido transformada, seu pai e mãe já haviam falecido, mas ela ainda era a mesma garota feliz. Só que agora de uma beleza fora do normal de lindos olhos dourados. Depois da feliz tarde na clareira, os Cullen, metade deles no jipe de Emmett e metade no Porsche de Alice, param em frente ao hospital de Forks, onde Carlisle deveria pegar alguns papéis para assinar em casa, e levar no dia seguinte para o trabalho.
- Você pode vir comigo Rose? Não gosto de andar sozinho por esse lugar...
- Claro!
Rosalie ainda estava animada pela tarde que havia passado com sua família e seu futuro marido e ex-marido ao mesmo tempo Emmett.
Carlisle virou a chave da porta, mas ela já estava aberta, ele percebeu então a recepcionista falando ao telefone, e meia dúzia de pessoas na sala de espera.
- Está tudo bem Rose? Quer mesmo me acompanhar? - Ele disse baixinho quando passaram pela sala de curativos.
- Tudo OK pai. - Ela tampou o nariz disfarçadamente.
A sala do Dr. Cullen era no final do corredor 3, eles foram até a sala, onde o doutor pegou cinco pastas grossas e trancou a porta. Pai e filha já estavam na altura da metade do estacionamento, à alguns metros do resto da família que esperava no carro quando uma mulher veio corredo até o doutor, ele passou imediatamente as pastas para os braços da filha loira.
- Sra. Smidh - Carlisle disse aterrorizado! - Ele foi atropelado doutor... Me ajude! Por favor!!
As pastas caíram dos braços de Rosalie, o menino de 5 anos estava com a perna esquerda completamente ensanguentada e o braço direito com um osso pulando para fora, Rosalie voou em cima do menino que caiu no chão, batendo a cabeça na guia. Então mais sangue começou a sair da cabeça do garoto, e a mãe dele correu para dentro do hospital gritando aterrorizada.
Rosalie voltou a si. Viu-se em cima de uma criança machucada, a respiração do garoto desaparece quando ela olhou-o com pena, e com horror pelo que tinha feito. Rosalie Hale havia se descontrolado, ela havia empurrado a criança contra a guia, ao bater a cabeça, a morte o encontrou, ali, no estacionamento do hospital.
Daquele dia em diante o tratamento de Rosalie na casa dos Cullen era diferente. Nada de abraços, carinhos, sorrisos ou brincadeiras. Era silêncio. Até o dia em que Jasper veio falar com ela, dizendo que a entendia, por que isso havia acontecido com ele quando ele quase matou Bella quando ela ainda era humana. É claro que eram situações diferentes, mas a iniciativa de Jasper puxou Alice, que puxou Edward e Bella, que puxaram Carlisle e Esme. Mas Emmett continuava intacto. Ele não havia mudado de opinião desde o dia em que depois daquele infeliz acontecimento, a família Cullen chegou em casa. Rosalie estava com as vestes sujas com o sangue da criança, e ela tremia feito uma louca.
- LOUCA! - Emmett gritou. - LOUCA! INSANA! DESCONTROLADA! - Ele gritou arrancando três árvores de uma vez e jogando-as contra o chão. - INPRESTÁVEL! EU TENHO NOJO DE VOCÊ ROSALIE HALE! NOJO! - Ele pegou Rosalie pelos colarinhos de sua blusa, olhou-a nos olhos e então cuspiu na cara dela, jogou-a o chão com tanta força que a árvore atrás dela no quintal da casa caiu com o baque do corpo da menina. - EU TENHO NOJO DE VOCÊ! VOCÊ É UM MONSTRO! - Ele se aproximou de Rosalie, suas mãos fortes e brancas começaram a estapear a menina, até que com um murro um maço de seus cachos loiros saiu na mão de Emmett e ele deu-lhe um tapa na cara com força, jogando a menina agora contra uma pedra, seu rosto escorregou, e rasgou ao meio.
Rosalie permaneceu vagando pela floresta por vários meses, ela não voltou para casa, nem mesmo se alimentou. As marcar ainda estavam em seu rosto branco, os roxos que Emmett havia deixado ela, mas principalmente a frase 'Eu tenho nojo de você Rosalie Hale' não saia de sua mente. E depois daquele dia, Emmett nunca mais olhou nos olhos de Rosalie.

---

BiazinhaFabbro - August 10, 2008 03:29 AM (GMT)
----

- Eu sinto falta dela. - Emmett finalmente suspirou, quando ele estacionou o jipe na garagem dos Cullen.
- É muito bonito o que você vai fazer hoje à noite Emmett, você vai assumir o seu erro, essa sim é a atitude de um homem. - Bella sorriu para o cunhado. - Tenho certeza que Rosalie vai te perdoar.
- Se ela não me perdoar, estarei certo de que mereço ser eternamente odiado por aquela que amo. O que eu fiz com ela não tem perdão, se ela fosse humana, eu teria matado ela.
- Emmett, Rosalie tem bom coração, tenho certeza de que ela só está esperando você dar o primeiro passo, e então vocês poderão ficar juntos outra vez. Delizes... Todos nós cometemos, lembra daquela vez do Jasper, quando eu ainda era humana? E de quando o Mike Newton veio falar comigo com o joelho machucado e eu 2 anos de transformada? Ele ainda não entende por que eu beijei o joelho dele daquela forma estranha.
Emmett riu. - É melhor irmos Bella. Já está tarde.
Emmett e Bella abriram a porta da sala, uma grande festa o esperava , luzes piscando, uma pista de dança, música alta e bebidas avermelhadas servidas em luxuosas taças em tamanho grande.
- E aí, gostou? - Alice se aproximou do irmão, abraçando-o. - Feliz 200 anos maninho!
- 200 anos? Tá ficando velho em Emmett. - Edward riu da própria piada e abraçou Bella, com a qual saiu dançando animado pela pista. Emmett percebeu que as bebidas estavam acabando e se dirigiu até a cozinha para buscar mais alguma coisa. A Tv estava ligada, provavelmente Esme esquecera de desligar. Ele estava prestes a apertar o botão off, quando o rosto de Rosalie apareceu na tela, o controle remoto escapou de suas mãos.
"Estamos falando direito da estrada entre Forks e La Push, uma menina identificada pelo nome de Rosalie Culle, segundo uma carteirinha de estudante que encontramos o porta malas do carro acaba de se jogar de um penhasco à beira mar em La Push, bombeiros tentam procurar o corpo, mas não existem dúvidas, a menina já deve estar morta... Os rochedos na parte de baixo do penhasco..." Emmett deixou o repórter falando sozinho, ele abriu a porta e saiu correndo, começou a correr pela floresta, pegou atalhos e atalhos até que estava na beira do penhasco em La Push.
Ele olhou a água feroz batendo nos rochedos lá em baixo, e mesmo Rosalie sendo o que era, provavelmente não deveria estar muito bem. Não morta, mas em uma condição física extremamente perigosa. Emmett tirou sua camisa e pulou. Eram mais de 800 metros de queda livre quando ele sentiu a água fria e furiosa contra a sua pele também fria e também furiosa, ele mergulhou, abriu os olhos e procurou pelo seu anjo loiro, mas Rosalie não estava lá. Ele mergulhava de cima em baixo, para todos os lados, mas a correnteza e as ondas furiosas acima da sua cabeça não o deixavam ver nada. Ele então tirou a cabeça de dentro da água, e apelou para o modo mais humano possível. 'ROSALIE! ROSALIE!" Ele gritava desesperado. Dando braçadas para todos os lados, seus olhos dourados desesperados por um fio loiro, ele o viu. Uma mecha loira flutuado à alguns metros na sua esquerda, ele concentrou sua força e correu, quando enconstou a mão, viu que era uma mecha apenas. De Rosalie, mas apenas uma longa mecha de cabelos loiros com cachos. Emmett olhou para cima, lá em cima, no topo do penhasco estava Rosalie, completamente molhada e machucada, parecia chorar, se fosse humana, poderia dizer que estava morrendo de tanto chorar. Emmett correu pelas beradas do penhasco, mas era tarde quando os pés de Rosalie deixaram o topo e começaram a cair novamente, à tempo Emmett consegiu pegá-la nos braços, e correr com ela até a areia branca da praia.
- Rose... - Ele disse ofegante. - Por que fez isso?
- Saia daqui Emmett! - Ela levantou-se com dificuldade. - Não quero ouvir seus sermões ridículos! Já não basta tudo que me disse 5 anos atrás? Já não basta todos os dias eu não poder tocar em você? Já não basta todo o tempo eu te desejar? Já não basta eu fingir para a Esme que está tudo bem entre a gente? Já não basta eu ver a Alice com o Jasper, a Bella com o Edward, a mamãe e o papai, e eu só? E saber que eu viverei eternamente, afundada nessa solidão cruel que eu vivo por causa da sua falta Emmett Cullen!
- Rose... Me escute... eu...
- Não venha falar nada! - Ela tentou dar um passo, porém caiu na areia fraca. - Eu... Não quero sua ajuda, me deixe morrer! Bote fogo em mim! Faça uma fogueira e pule por cima depois! Afinal, eu sou insana e descontrolada, e você tem nojo de mim. - Rosalie caiu ainda mais fraca na areia branca.
- Me perdoa... - Emmett gemeu. - Me perdoa meu amor, amor da minha vida, motivo da minha existência e eternidade... Me perdoe! - Ele implorou.
Rosalie sentiu os lábios frios de Emmett nos seus, finalmente, depois da tarde na clareira à 5 anos atrás. Ela jogou seus braços finos por cima dos ombros largos dele, e ele a levantou em seus braços, beijando-a a beira do mar, o som das ondas raivosas não era mais aterrorizante. Ela uma melodia romântica que embalava o amor dos dois. Emmett gentilmente levou-a para o seu jipe, que estava estacionado na beira da praia. Provavelmente tinha dedo da Alice ali. Ele deitou Rosalie no banco do passageiro e dirigiu devagar até Forks. A família Cullen esperou feliz até que Emmett entrou pela porta com Rosalie nos braços. Edward desligou as luzes piscantes, Jasper abaixou o som, apenas Alice sabia o que havia acontecido, ela havia visto, mas não havia contado pra ninguém.
A lua se tornou o sol quente e brilhante sobre as fitas de cetim ainda na sala, o globo no centro da mesma e taças grandes espalhadas por toda a casa.
- Bom dia! - Uma voz suave cochichou aos ouvidos da menina Rosalie.
- Emmett. - Ela sorriu sem abrir os olhos.
- Você anda ficando muito com a Bella, que mania é essa de passar a noite de olhos fechados?
- É que quando eu fecho os olhos, eu consigo ver seu rosto mais claramente em meus pensamentos.
Rosalie virou-se no sofá violeta e jogou seus braços sobre Emmett, e ali eles se beijaram, num eterno beijo de reconciliação. O melhor presente que ele poderia receber.
- Á propóstio. - Rosalie separou deus lábios dos dele. - Feliz Aniversário.
Emmett deitou-se no sofá, colocou Rosalie deitada em seu peito duro como pedra, e aquele momento se tornou intocável quando uma bela sessão de beijos de saudade começou.




FIM
=D




* Hosted for free by InvisionFree